Twitter

CUT AL > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM ALAGOAS SERÁ DENUNCIADA À CPMI.

Violência contra a mulher em Alagoas será denunciada à CPMI.

29/05/2012

O encontro no palácio reuniu, além da Secretaria de Políticas para as Mulheres, a Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT, o Coletivo de Mulheres Bancárias de Alagoas,

Escrito por: Fonte: Seec-AL

 

A Secretaria Estadual de Política para as Mulheres e entidades da sociedade civil reuniram-se quinta-feira no Palácio do Governo para formar a comissão que irá elaborar o relatório sobre violência contra as mulheres em Alagoas. O documento será apresentado em 1º de junho na Assembléia Legislativa, durante Audiência Pública da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional, que trata da violência contra a mulher no país. Na oportunidade estará presente a relatora da CPMI, senadora Ana Rita (PT-ES).

O encontro no palácio reuniu, além da Secretaria de Políticas para as Mulheres, a Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT, o Coletivo de Mulheres Bancárias de Alagoas, a Marcha Mundial das mulheres, a Secretaria Estadual de Mulheres do PT e o Núcleo Temático Mulher e Cidadania, da Ufal. O Sindicato dos Bancários esteve representado pela diretora Arivoneide Moraes.

Segundo Arivoneide, o cronograma da CPMI prevê a votação do relatório final para o dia 7 de agosto, quando se comemora seis anos da Lei Maria da Penha (11.340/06). Até lá, serão realizadas diligências e audiências públicas nos dez estados mais violentos do pais, que inclui, além de Alagoas, Espírito Santo, Paraná, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Pará, Bahia, Pernambuco, Mato Grosso e Tocantins.

A diretora do Sindicato destaca que os altos índices de violência contra a mulher em Alagoas é preocupante e critica a estrutura precária disponibilizada pelo governo para combater essa violência. Segundo ela, também não existem condições adequadas e suficientes para atender as mulheres vitimadas. "A violência de gênero é um problema cultural que atinge as mulheres independente da idade, cor da pele, etnia, religião, nacionalidade, orientação sexual ou condição social. Em Alagoas, o assassinato de mulheres é bem superior que a média nacional e precisa ser combatido urgentemente. Precisamos estar atentos e compreender que a violência contra a mulher não é só a física, mas também a psicológica, material e sexual, entre outras", enfatizou a diretora.

Arivoneide, que também é secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-AL, convoca os bancários e bancárias a se engajarem na luta contra a violência à mulher, além de participarem da audiência do dia 1º de junho na Assembléia Legislativa do Estado.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE ALAGOAS
Rua General Hermes, 380 | Cambona | CEP 57017-200| Maceió | AL
Fone: (55 82) 3221.6794 - (55 82) 3336.8786| www.cut-al.org.br | e-mail: cutalagoas@gmail.com