Twitter

CUT AL > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > CUT NA RIO+20: CÚPULA DOS POVOS APRESENTA SISTEMATIZAÇÃO DAS PROPOSTAS E CONVOCA MOVIMENTOS SOCIAIS À LUTA

CUT na Rio+20: Cúpula dos Povos apresenta sistematização das propostas e convoca movimentos sociais à luta

22/06/2012

Plenárias divulgaram documento com resultado dos debates

Escrito por: Daiane Cerezer (CUT-RS), do Rio de Janeiro

 


Movimentos sociais agora tem desafio de lutar para colocar em prática as prioridades que definiram"Tudo aconteceu num certo dia, hora de Ave Maria, o universo viu gerar. No princípio, o verbo se fez fogo nem atlas tinha o globo, mas tinha nome o lugar. Era Terra." A canção de Pedro Munhoz embalou a abertura da segunda assembleia dos movimentos sociais, neta quinta-feira (21), durante a Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20, que aconteceu no Aterro do Flamengo.

Antes da apresentação das sínteses das propostas defendidas nas cinco plenárias dos movimentos sociais, um grupo teatral organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra  retratou a criminalização dos movimentos sociais, invariavelmente por meio da violência policial.

Representante da Marcha Mundial de Mulheres Miriam Nobre fez uma retomada da construção da cúpula e dos debates nesses seis dias. “Quando percebemos que a economia verde era uma ofensiva tão grande do capital, decidimos realizar a Cúpula dos Povos, lugar de debates, acúmulos, acordos, mobilizações. Tivemos também inúmeras atividades autogestionárias em conjunto com muitas entidades parceiras dos movimentos sociais.”

As temáticas dos discursos foram divididas conforme as plenárias: Direitos por Justiça Social e Ambiental; Defesa contra os Bens Comuns e contra Mercantilização; Soberania Alimentar; Energia e Indústrias Extrativistas e por fim, Trabalho: por outra economia e novos paradigmas da sociedade.

Uma manifestante americana cantou Get UpStand Up, música de Bob Marley, animando o público que também entoava “O povo unido, jamais será vencido” e aplaudia os fervorosos discursos.

As sínteses das propostas foram intercaladas com a apresentação de um vídeo que mostrava a luta dos movimentos sociais, inclusive da marcha do dia 20 de junho.  

Direitos por Justiça Social e Ambiental

Entre os principais pontos, essa plenária destacou a urgência de mudanças por políticas públicas e estatais, diminuição as desigualdades sociais através da garantia dos direitos humanos, garantia de serviços básicos gratuitos e restritos, construção um novo paradigma de desenvolvimento que seja sustentável, participativo e não discriminatório, criação de espaços coletivos populares e descentralizados, e cumprimento por parte dos Estados de todos os tratados e convenções das organizações internacionais. Também integraram o documento a promoção do direito à mobilidade para todos através de transporte público de qualidade.

MST fez uma mística que representava a violência da polícia contra o MSTDefesa contra os Bens Comuns contra a Mercantilização

Nesse ponto, os destaques foram o combater à biopirataria, a necessidade de garantir as áreas naturais prioritárias no mundo, o direito  à cidade como forma de acessar os bens comuns, a defesa da bioconstrução e da agroecologia urbana, o acesso à cultura, à comunicação e à liberdade de expressão. Assegurar a descriminalização dos movimentos sociais e abolir todos os mecanismos de privatização dos bens comuns foram as principais alternativas coloca

das como solução aos problemas enfrentados pela sociedade como resultado do modelo capitalista.

Soberania Alimentar

A plenária que tratou da soberania alimentar defendeu a reforma agrária integral com fortalecimento da agricultura familiar, a autonomia dos povos, uma profunda distribuição das riquezas, o fortalecimento das cooperativas, a recuperação e valorização dos alimentos tradicionais, a defesa do ensino, pesquisa e extensão das universidades serem voltadas aos interesses da sociedade e não das empresas, o fim da violência e discriminação com as mulheres, a erradicação do trabalho infantil, além de ter abordado outras questões.


Energia e Indústrias Extrativistas
Os pontos essenciais destacados aqui foram a democratização dos acessos aos recursos energéticos e o fortalecimento das convergências sociais pela energia pública.

Já na assembleia sobre trabalho, os destaques foram a promoção de políticas públicas para desenvolver trabalho decente, iniciativas comunitárias, fortalecer a economia solidária, fazer a reforma agrária. A defesa dos bens  comuns como uma resposta à mercantilização também foi outra das propostas apresentadas.

A próxima assembleia dos povos acontece amanhã, a partir das 10h no Aterro do Flamengo. Na ocasião, os movimentos sociais divulgará a agenda de lutas para o próximo período. 

 
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
RÁDIO CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE ALAGOAS
Rua General Hermes, 380 | Cambona | CEP 57017-200| Maceió | AL
Fone: (55 82) 3221.6794 - (55 82) 3336.8786| www.cut-al.org.br | e-mail: cutalagoas@gmail.com